sábado, 27 de agosto de 2011

O que é que a Bahia tem?

Complementando a postagem acima... Segue o meu Guia Turístico de Salvador!

Obs.: Clique nas imagens para ampliá-las.




 Começaremos nosso passeio conhecendo um pouco da história de Salvador através de seus museus, portanto, creio que você não pode deixar de visitar o Museu Rio Branco ou Palácio Rio Branco. É a antiga sede do governo da Bahia, e um dos mais antigos palácios do Brasil. Está situado na Praça Tomé de Sousa, onde também se encontram a Prefeitura da cidade, a câmara municipal e o Elevador Lacerda
Ao lado temos a imagem do Museu visto da cidade baixa, que fica muito próximo ao Elevador Lacerda. De frente para o elevador temos o Mercado Modelo, o qual você não pode deixar de conhecer também, pois lá está concentrado o maior pólo de artesanato da cidade, além de esconder no seu subsolo, que está abaixo do nível do mar, uma história maravilhosa que conta o cotidiano dos escravos no período imperial. Este possui túneis sustentados por arcadas e ainda preserva as correntes onde os escravos eram acorrentados.
Estas visitas são muito enriquecedoras e podem ser feitas em apenas um dia, pois a proximidade do local facilita o passeio.

Ainda em relação a Museus. Temos também o Museu Carlos Costa Pinto, que retrata a Bahia Imperial e Colonial; este fica situado na Av. 7 se Setembro - Corredor da Vitória, próximo a Praça 2 de Julho, no Campo grande (aonde passa o circuito oficial do carnaval de Salvador).    

Dica: Muito próximo ao museu Costa Pinto está situado o Teatro Castro Alves; que, além de possuir todos os atrativos de qualquer grande Teatro, se você for visitá-lo em um dia de sexta feira a tarde, corre o risco de assistir um belo show de artistas regionais de graça, no projeto ‘Sua nota é um show’.
Contudo, ainda existem vários museus que contam a história da cidade, a maior parte deles está no Pelourinho, são muitos...
No Pelourinho você também vai encontrar umas das melhores gastronomias da Bahia. Lá está o restaurante de uma das maiores quituteiras de Salvador, dona Dadá, além dos vários tabuleiros das baianas de acarajé que exalam um cheiro irresistível e cardápios que acolhem as culinárias típicas de vários países. Dependendo do dia e do horário você ainda pode ser permitir assistir um show ao vivo, e de graça, da Banda Olodum, em qualquer uma das grandes praças que o bairro possui. Atrás dos casarões existem verdadeiras praças gastronômicas que envolvem arte, música e dança.
Saindo um pouquinho do circuito histórico... Se possível, não deixe de visitar os Pontos Turísticos da Cidade Baixa, mais especificamente, a Peínsula Itapagipana. 
As três imagens a esquerda são referentes aos bairros que formam a Península Itapagipana.  A primeira remete ao bairro do Bonfim, que situa uma das mais famosas Igrejas da Bahia (Igreja do Bonfim) onde tem a famosa lavagem; e por falar em igreja, esse assunto em Salvador não é problema, pois a cidade possui 365 unidades que foram construídas pelos seus colonizadores em forma pagamento de promessa; costuma-se dizer que é uma igreja para cada dia do ano.

A  imagem a direita refere-se ao bairro da Ribeira, que possui a melhor Sorveteria de Salvador e uma das mais lindas vistas da cidade baixa. O Bairro é tomado por pessoas conhecidas e sua praia é popularmente conhecida como “praia do ‘oi’”. A terceira imagem a esquerda, e a imagem a direita, referem-se à Península Itapagipana – Região completa da cidade baixa. Dizem que esta região lembra muito uma cidade do interior, onde tem tudo perto e todo mundo se conheçe.
Assim como os bairros da Ribeira e do Bonfim tem muita beleza e história a nos oferecer, o bairro da Boa Viajem também não fica atrás; e o melhor de tudo é que  são bairros muito próximos, unidos pela beira mar. Os habitantes da Península Itapagipana costumam andar à pé, para se deslocar de um bairro para o outro.
Na ‘Boa Viagem’ (como é chamada pelos soteropolitanos) está localizado o forte de Monte Serrat, que preserva os bens militares que defenderam a cidade nos períodos de invasão e hoje funciona o Museu da Armaria com arcevo de armas da primeira e segunda guerra mundial. Neste bairro, os moradores e visitantes tem o prazer de desfrutarem de um dos mais belos por do sol de Salvador. A beira da praia de Boa Viajem, sentindo a brisa da Ponta de Humaitá, você ainda pode sentir o prazer de ouvir o badalar dos sinos da igreja de Humaitá. De lá vc pode avistar a Bahia de Todos os Santos do outro lado do mar, assim como a Ilha de Itaparica, a qual vc consegue fazer a travessia em apenas 40 minutos, usando o Ferry Boat como meio de transporte para conhecer um dos lugares mais paradisíaco da Bahia.
Salvador, “a capital da alegria”, ainda oferece muitas opções de entretenimento e diversão. Dentre elas estão às belezas naturais que inclui lagos e lagoas, estes se misturam a paisagem urbana da cidade. Nesse aspecto não podemos deixar de citar o ‘Dique do Tororó’, que fica em frente ao Estádio Octávio Mangabeira, mais conhecido como Fonte Nova, que nesse momento está em obra para receber a Copa de 2014.
Tem também o ‘Parque de Pituaçu’ situado no bairro de Patamares, que compreende uma área com 400 hectares de extensão e 16 km de ciclovia; nele é permitido andar de pedalinho, apreciar várias esculturas de Mário Cravo e almoçar apreciando a gastronomia de diversos restaurantes.
Muito próximo ao Parque de Pituaçú tem o Jardim dos Namorados... Uma praça muito bem projetada para transformar suas tardes em momentos de pura diversão.
Além desses três pontos, não podemos deixar de citar a Lagoa do Abaeté, formado por uma água escura, situada no Bairro de Itapuã próxima ao aeroporto Luiz Eduardo Magalhães. Trata-se de uma área ambiental cercada de magias, lendas, encantos e imensas dunas de areia branca.

Visitar a Lagoa do Abaeté é voltar no tempo e presenciar lavadeiras cantando e batendo as peças de roupas sobre as pedras escorregadias as margens do lugar; é também presenciar capoeiristas dançando ritmados ao som de berimbaus, muitos restaurantes que servem comidas típicas e as famosas baianas de acarajé e abará.  E por falar em acarajé e abará; é à beira da praia de Itapuã que está situado um dos mais famosos tabuleiros do quitute baiano, o acarajé de Síria. Depois da degustação, sugiro que dê uma caminhada até o farol de Itapuã, e, se estiver disposto, faça uma visita à Sereia e prestigie o trabalho dos pescadores que trançam suas redes e colorem seus barcos. É por essas e tantas outras que Vinicius de Moraes dizia “É bom, passar a tarde e Itapuã...”.

Visitar a Lagoa do Abaeté é voltar no tempo e presenciar lavadeiras cantando e batendo as peças de roupas sobre as pedras escorregadias as margens do lugar; é também presenciar capoeiristas dançando ritmados ao som de berimbaus. São muitos os restaurantes que servem comidas típicas, além das famosas baianas de acarajé e abará.  E por falar em acarajé e abará; é à beira da praia de Itapuã que está situado um dos mais famosos tabuleiros do quitute baiano, o acarajé de Síria. Depois da degustação, sugiro que dê uma caminhada até o farol de Itapuã, e, se estiver disposto, faça uma visita à Sereia e prestigie o trabalho dos pescadores que trançam suas redes e colorem seus barcos. É por essas e tantas outras que Vinicius de Moraes dizia “É bom, passar a tarde e Itapuã...”.

Outra praia que tem características muito comuns à de Itapuã, é a praia do Rio Vermelho. Tão bela quanto à praia de Itapuã, esta também é uma praia de pescador e possui uma sereia esculpida em pedra representando a casa dos pescadores, porém uma das principais características do bairro é a vida noturna. À noite a boemia toma conta do lugar. Bares e restaurantes ficam lotados, e as pessoas se banham sobre a luz da lua e dos grandes refletores que iluminam toda sua orla.  Em Frente à praia existe o largo do Rio Vermelho e sua capela, onde está situado outro tabuleiro de acarajé muito famoso, o acarajé de Dinha, que depois do seu falecimento está sendo ocupado por suas filhas, porém o sabor do bolinho continua o mesmo!
 Já deu para perceber que os soteropolitanos e adjacentes prezam por uma boa praia e muita gastronomia, sem falar das referências das músicas e as tradições populares.
A cidade de Salvador ainda oferece muitas outras opções culturais, ambientais e de entretenimento, além da famosa Ilha de Itaparica (refúgio dos baianos), assim como a Linha Verde que concentra o maior número de Tartarugas Marinhas do Nordeste no Projeto TAMAR, que encanta qualquer visitante. Contudo tem que estar lá, não só para ver, mas para sentir; e quando você chegar lá “Sorria, você está na Bahia”.
Deixo aqui meu carinho, muitos cheiros e desejo boa viagem a quem desejar meu povo conhecer. Espero que façam lindos dias de sol para que o colorido dessa terra seja percebido com muito mais intensidade!
Segue imagem para direcioná-lo dentro da cidade.

Fontes das imagens: Google e Nilton Souza

OBS: Para Comentar ou Seguir o Blog, seu Gmail deve estar logado (aberto). ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário